Como saber se o seu smartphone foi hackeado

O Android, como qualquer sistema operacional, não é imune a malwares e, embora o Google tome mais e mais medidas para evitá-los, nossos celulares não estão 100% seguros. O fato de baixar qualquer arquivo de uma página não confiável ou conectar-se a redes Wi-Fi públicas pode acarretar o risco de o telefone ser invadido. Isto nem sempre é o caso, é claro, mas devemos ficar atentos aos sinais de aviso suspeitos dados pelo nosso smartphone.


E por isso vamos dar as principais pistas para descobrir se o seu smartphone foi hackeado. E, em caso afirmativo, como evitar que isso aconteça no futuro.


Alto consumo de bateria e de dados

A bateria do seu celular dura apenas algumas horas? É um sintoma de que algo acontece, embora não seja determinante falar sobre hacking. Na verdade, os fabricantes geralmente lançam atualizações nos sistemas operacionais que "consomem" a bateria dos aparelhos mais antigos. Também depende do uso: se você só verifica o e-mail ou, pelo contrário, você gasta horas no YouTube com o brilho da tela no máximo.

No entanto, se você usar o telefone como de costume e a bateria durar muito menos do que o de costume, de uma hora para outra, você pode verificar o que acontece acessando as configurações do telefone e procurando por "Bateria". Lá você pode verificar o que está consumindo a bateria do seu telefone e ver se há algo está estranho.

O mesmo, e ainda mais confiável, é o consumo dos dados. Se você mantiver sua rotina habitual e de repente passar da cota, é possível que haja um malware no seu celular. Por quê? Simples: ele envia informações para o hacker através dos dados do celular em que está instalado. Para verificar o consumo de dados, vá para Configurações e "Dados móveis". Em seguida, você verá uma lista ordenada com os aplicativos que consomem mais dados em seu celular, de acordo com o uso que dá a eles.


Aplicativos que você não instalou

Quando você verificar o consumo de bateria e dados do seu celular, verá todos os aplicativos instalados no seu telefone. O mais provável é que use apenas alguns e o resto esteja lá apenas ocupando espaço e esquecidos. Mas se você vir um que não lembra de ter instalado, é melhor verificar o histórico do Google Play para ver quando o instalou.

Não esqueça os aplicativos instalados com arquivos APK que não ficam na Google Play. Com eles, podemos acessar, por exemplo, atualizações para aplicativos oficiais que ainda não estão disponíveis ao público, mas também podemos instalar, inadvertidamente, apps de origens duvidosas.

Se você não se lembrar se ou quando instalou um aplicativo e acha que pode ser malicioso, é melhor apagá-lo do smartphone. Se não puder fazer isso, pode ser devido ao malware, mas tenha em mente que alguns aplicativos são instalados por padrão em seu telefone e não podem ser desinstalados, o que não significa que o seu dispositivo esteja infectado.


Publicidade

Esse é, com toda a certeza, um dos sintomas mais óbvios e irritantes. Alguns malwares geralmente geram pop-ups de publicidade que levam você a tomar alguma ação . Normalmente, eles “saltam” na tela durante o uso comum do smartphone. Além disso, existem os mais “malandros”, que  nos alertam que o nosso telefone está infectado e sugerem que você baixe um antivírus que, em princípio, você não quer e, então, acaba instalando um malware.

Tenha cuidado ao navegar na internet se sofrer um redirecionamento. Ou seja, se no navegador você escreve um determinado endereço de site  e você acaba em uma página diferente. Se isso acontecer com você, provavelmente há malware no seu dispositivo.


Mensagens que você não escreveu

Se você usa o Facebook, é possível que mais de uma vez tenha encontrado uma mensagem estranha de seus contatos e, posteriormente, o esclarecimento subsequente de "Essa mensagem dizendo que hackeei a conta, não fui eu".

Bom, o mesmo acontece com o resto das suas aplicações móveis. Se, de repente, seus contatos o alertarem para enviar mensagens de WhatsApp ou um SMS estranho, é possível que seu celular tenha sido invadido. E tenha cuidado, porque isso usa sua lista de contatos para se espalhar.

Também fique alerta com assinaturas premium via mensagens de texto se, de repente, você receber mensagens diárias com seu horóscopo, por exemplo. Isso também levará a uma surpresa desagradável: sua fatura provavelmente aumentará em vários reais.


Aquecimento além do normal

Se você perceber que o aparelho está mais quente que o normal, pode ser devido a um aplicativo mal-intencionado sendo executado em segundo plano, o que também acarreta um custo extra de dados e consumo de bateria.

Lembre-se que quando você executa vários processos ao mesmo tempo ou abre um jogo que consome muito, o processador do seu telefone eleva a frequência de trabalho e, portanto, pode causar o aumento da temperatura.

Mas é apenas nesses momentos específicos. Se você perceber que isso é repetido várias vezes ao dia, mesmo que o celular esteja em repouso, algo acontece. Claro, não é um sintoma determinante. Se por exemplo, você usar uma capa de má qualidade para o seu telefone, o dispositivo vai subir de temperatura também.


Meu celular está infectado mesmo. E agora, o que fazer?

Não entre em pânico, porque existe uma solução. Para começar, reinicie o dispositivo no modo de segurança, porque aqui os aplicativos mal-intencionados não entram em operação e você pode excluir o que precisa nas configurações do telefone.

Em seguida, verifique o status dos seus aplicativos. Para fazer isso, vá para Configurações> Google> Segurança, onde você verá a opção "Verificar aplicativos". É algo como um antivírus interno do Google e você pode ativar as opções "Pesquisar ameaças de segurança no dispositivo" e "Melhorar a detecção de aplicativos prejudiciais". Se você excluir aplicativos que não usa, você ganhará espaço extra no seu celular.

Nada disso funcionou? Se ainda não conseguir, você só tem uma opção: restaurar as configurações de fábrica. É a opção mais radical, pois você perderá todas as informações do seu celular (para manter documentos, fotos, vídeos, etc, certifique-se de fazer um backup antes de redefinir o telefone), mas também o mais eficaz.


Como medida preventiva, você deve desativar a opção instalar aplicativos de origens desconhecidas. A maioria dos telefones Android vem com esta opção ativada, mas muitas vezes acabamos desativando-a para baixar o arquivo APK de qualquer aplicativo.

Se for o seu caso, o ideal é mantê-lo sempre desativado e ativá-lo somente no momento em que você deseja baixar aplicativos ou arquivos fora da Google Play. Você encontrará essa opção em Configurações> Configurações avançadas> Segurança (alguns aparelhos podem mudar esse menu, dependendo do fabricante e versão do Android), onde você verá a opção de ativar ou desativar aplicativos de origem desconhecida.

Além disso, ter a atualização mais recente do sistema operacional Android e manter os patches atualizados protegerá seu smartphone contra as vulnerabilidades mais recentes detectadas. Você pode ver o que instalou e atualizá-lo para a versão mais recente disponível em Configurações> Sobre o telefone> Patch de segurança do Android.



Fonte: https://olhardigital.com.br/fique_seguro/noticia/como-saber-se-o-seu-smartphone-foi-hackeado/81501