6 conclusões sobre como o brasileiro usa a internet, segundo o IBGE

Os brasileiros estão mais conectados de forma geral e estão mudando seus hábitos, de acordo com a PNAD Contínua TIC 2017, divulgado pelo IBGE nesta quinta-feira (20). O percentual de brasileiros acima dos 10 anos que utilizam a internet subiu de 64,7% em 2016 para 69,8% em 2017. Isso significa que o país tem 126 milhões de usuários.

Veja algumas das conclusões sobre eles:


Acesso na zona rural e urbana: diferença é grande, mas está caindo

O acesso em área rural aumentou bastante de um ano para o outro: foi de 32,6% em 2016 para 39% em 2017. No entanto, a diferença ainda é gritante, já que o acesso chega a 74,8% na população urbana.


Regiões: acesso é maior no Centro-Oeste e menor no Nordeste

Quando se olha as regiões onde mais se utilizam a internet, os moradores do Centro-Oeste saem na frente com 76,6%, seguido pelo Sudeste com 76,5% e o Sul com 73.2%.

Na região Norte, o acesso atinge 60,1% da população enquanto o Nordeste ficou na lanterna com 58,4% dos moradores usando a internet.

Adriana Beringuy, analista da PNAD e coordenadora da pesquisa, observa que o Nordeste sempre teve os menores percentuais de utilização, o que pode ser explicado por fatores como renda e escolaridade da população.

“Escolaridade é um fator que explica muito a utilização e o Nordeste tem um grau de instrução menor. Além disso, o uso e o acesso à internet envolve custo e como eles tem uma renda familiar menor, isso pode comprometer o orçamento”, diz a pesquisadora.


Escolaridade: uso segue o nível de instrução

A escolaridade é um fator central para determinar o acesso a internet no país e a correspondência acontece de forma linear.

Entre as pessoas sem nenhuma instrução o percentual de acesso é de 11,2%, indo a 97,7% entre aquelas com ensino superior completo.


Faixa etária: pico entre os brasileiros de 20 a 24 anos

A pesquisa mostra que 88,4% dos jovens entre 20 e 24 anos usam a internet, maior percentual de todas as faixas etárias.

No entanto, a faixa de maior crescimento ocorre entre aqueles brasileiros com 60 anos ou mais, onde a taxa de utilização foi de 24,7% para 31,1% em um ano.

“É uma população onde ainda há muito espaço para crescer, enquanto entre os jovens já há uma cobertura muito boa”, diz Beringuy.


Como acessam: cada vez mais no celular

O celular, de acordo com o levantamento, é o dispositivo líder, utilizado por 97% do total dos conectados. Para Beringuy, isso pode ser explicado pelas condições de acesso:

“É um aparelho com um custo mais baixo, e o fato de ter acontecido uma expansão das redes móveis pelo país possibilitou o barateamento do pacote de dados em todas as grandes regiões. O Norte, por exemplo, é onde tem o maior uso de rede móvel no Brasil. Por ser uma região onde as cidades ficam muito distantes umas das outras, é difícil chegar com infraestrutura para rede fixa e é mais fácil a transmissão por satélite”, explica.

O acesso por computador está caindo: foi de 63,7% da população em 2016 para 56,6% em 2017. A mesma coisa acontece com os tablets, que foram de 16,4% para 14,3% no mesmo período.

Já o acesso via TV cresceu cinco pontos percentuais, passando de 11,3% em 2016 para 16,3% em 2017.

Para que: destaque é o crescimento da chamada de vídeo (e vídeos de forma geral)

Na questão da finalidade do uso, segundo Beringuy, a que apresentou maior crescimento foi a de chamada por voz e vídeo, que passou de 73,3% para 83%.

“Isso está muito ligado ao próprio uso de ferramentas para fazer ligação e ao barateamento do serviço pelas operadoras, assim como qualidade”, disse Beringuy.

Mas o motivo mais comum para o uso da internet continua sendo enviar e receber mensagens: 94.5% dos usuários citam essa finalidade.

Fonte: https://exame.abril.com.br/brasil/6-conclusoes-de-como-o-brasileiro-usa-a-internet-segundo-o-ibge/

Atendimento via WhatsApp